Cianotipia

Document2

(próximo workshop em data a anunciar)

Local – APAF Lisboa

O processo de cianotipia foi inventado em 1842 por John William Herchel, e logo foi usado pela bióloga Anna Atkins para realizar o primeiro livro científico com imagens fotográficas. Deve o seu nome à cor que apresentam as suas imagens (ciano) e é um processo fotográfico muito simples de realizar, baseado nos sais de ferro e não nos sais de prata. Os papéis mais adequados, sendo os que melhor se adaptam ao guache e à aguarela, conferem uma textura muito própria à imagem, que tem por base um negativo, da mesma dimensão que a cópia produzida, e a revelação com àgua corrente.

Inserido nos chamados “processos alternativos”, o processo de cianotipia é hoje um dos que serve de suporte à educação visual em inúmeras escolas de arte.

Formadores

António Lopes e João Paulo Barrinha/Walking Câmera Project

Conteúdo programático

11.00 – 13.00 – Um pouco de História – António Lopes

– O processo de Fox Talbot e os primeiros processos fotográficos até c. 1860. Enquadramento histórico do processo.

14.30 – 18.30 – O processo de cianotipia – João Paulo Barrinha / Walking Câmera Project

– Enquadramento e aplicações do processo. Pequena mostra de trabalhos de alguns autores;

– os suportes usados, características e plasticidade. A escolha dos negativos. A execução (teoria e prática) do processo. Fórmulas químicas;

– o negativo e o negativo digital. Preparação de negativos digitais para impressão pelo processo de “cianotipia”.

Inscrição

40.00 € para público em geral

35.00 € para ex-alunos

30.00 € para sócios e atuais alunos

Para efetuar a sua inscrição deve efetuar a transferência do valor do Workshop para o NIB 001800000813512500178 e enviar-nos o respectivo comprovativo juntamente com a indicação do nome, morada, telefone e número de contribuinte para emissão de fatura, para secretaria.apaf@gmail.com

As inscrições devem ser feitas, no máximo, até às 12 horas de sexta feira, dia 22 de agosto.

Anúncios