Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira

Fotografia Teresa Huertas, da série ATMÓS

O prémio da última Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira foi atribuído a Teresa Huertas com o trabalho ATMÓS. O júri atribuiu ainda a Humberto Brito uma menção honrosa pelo trabalho Estrada e Fantasmas. O júri foi constituído por Raquel Henriques da Silva, que presidiu, e ainda por António Pinto Ribeiro, Emília Tavares, Liliana Coutinho e Tobi Maier.

Segundo o júri, o trabalho de Teresa Huertas, “convida-nos a experienciar uma outra temporalidade, explorando as fronteiras da imagem fixa e em movimento”, referindo ainda “a espontaneidade formal deste trabalho, salientando a forma consistente como a fotografia pode ser uma forma de resistência ao excesso visual, à velocidade e híper estimulação dos sentidos”.

A partir das 90 candidaturas ao prémio da Bienal é também apresentada uma exposição coletiva no Celeiro da Patriarcal, até 16 de maio, com trabalhos de Ana Janeiro, Beatriz Banha, Daniela Ângelo, Elisa Azevedo, Frederico Brízida, Hugo de Almeida Pinho, Humberto Brito, Teresa Huertas e Stefano Martini. Além desta exposição coletiva e com curadoria geral de Sandra Vieira Jurgens, decorrem também no Museu Municipal e na Fábrica das Palavras, em Vila Franca de Xira, com as exposições Deambulação e Itinerância e Fotoutopia: Construções Imaginárias.

Deambulação e Itinerância (até 26 de Setembro) apresenta trabalhos de Alexandre Delmar, Carlos Lobo, Luiza Baldan e Xavier Paes, e FotoUtopia: Construções Imaginárias, a decorrer na Fábrica das Palavras, (de 8 de Setembro a 21 de Novembro), apresentará obras de Ana Linhares, Estefanía Landesmann, Pedro Valdez Cardoso e São Trindade.

Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.