Em Setúbal, Embodying the Landscape, de Rosa Nunes

Captura de tela 2020-08-19 às 14.39.58

Fotografia Rosa Nunes

No Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS) está patente ao público Embodying the Landscape de Rosa Nunes (Torrão, 1955).

É um olhar atento sobre o corpo feminino, que nos interroga sobre a forma como o vemos e como outros o veem. Tudo partiu do confinamento e do que ele nos proporcionou em termos de reflexão, desacelerando o tempo, permitindo-nos olhar com mais atenção não só o que nos rodeia como a nós próprios. A plasticidade do corpo tornou-se razão e objeto deste trabalho que representa a confirmação dos caminhos trilhados pela autora nos últimos anos. Na realidade, quando comparamos Embodying the Landscape  com os seus primeiros trabalhos, vemos uma evolução radical no sentido do maior envolvimento da autora com os temas eleitos, caminhando no sentido da subjetividade e deixando ao público liberdade para interpretar as imagens que observa. Ao mesmo tempo, e confirmando algumas abordagens feitas anteriormente, continua a verificar-se a vontade de experimentar novas soluções visuais, numa liberdade demonstrativa da paixão da autora pelo projeto desenvolvido, um projeto que é mais do que imagens: é igualmente uma opinião e um sentir da autora a propósito do corpo, algo tão pessoal mas, na sociedade em que vivemos, imensamente legislado, alvo de opiniões ou críticas. É um momento de reflexão a não perder. António Lopes

Captura de tela 2020-08-19 às 14.38.53

Fotografia Rosa Nunes
Esta entrada foi publicada em Crítica, Notícias. ligação permanente.