NOVO BANCO Revelação 2018

Captura de tela 2018-11-26 às 16.25.36

Inaugura no próximo dia 29, em Serralves, a exposição NOVO BANCO Revelação 2018. Recorde-se que na edição deste ano a artista vencedora foi Maria Trabulo (Porto, 1989), sendo artistas finalistas Carlos Arteiro, Ana Linhares e o coletivo Sem título 2018. O Júri deste ano foi composto por Anna Gritz – curadora no KW (Instituto para a arte contemporânea, Berlim) –, Filipa Loureiro e Ricardo Nicolau – curadora e adjunto do diretor do Museu de Serralves –, e Rita Vitorelli, editora-chefe da revista Spyke Art.

Recorde-se também que o Prémio NOVO BANCO Revelação é uma iniciativa do NOVO BANCO em parceria com a Fundação de Serralves, que já distinguiu 41 artistas e tem como objetivo incentivar a produção e criação artística de jovens talentos portugueses, até aos 30 anos, tendo por base uma lógica de divulgação, lançamento e apoio a todos os artistas que recorram ao meio da fotografia.

Segundo o júri “todos os artistas manifestam, uma abordagem à fotografia que amplia o alcance e as possibilidades deste meio na arte contemporânea – por exemplo em projetos relacionados com a memória da herança colonial portuguesa (Ana Linhares), ou que baralham noções de autoria e de identidade (coletivo Sem Título 2018), ou que partem da fotografia para explorar noutros meios, nomeadamente a pintura e o vídeo, o caráter impessoal, mecânico, da prática fotográfica (Carlos Arteiro)“. Ainda nas palavras do júri, a atribuição do Prémio a Maria Trabulo deveu-se, “ao caráter aturado e idiossincrático das pesquisas da artista, que a levam no projeto com que concorreu (…) a questionar a relação da fotografia com os limites da memória humana – lembremo-nos que ela é fundamental na constituição de arquivos, para práticas de preservação e enquanto ferramenta arqueológica“.

 

Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.