Robert Mapplethotpe: Pictures, abre hoje em Serralves

Captura de tela 2018-09-14 às 15.32.54

Fotografia Robert Mapplethorpe, Auto Retrato, 1983, Robert Mapplethorpe Foundation

Inaugura amanhã, pelas 22 horas, em Serralves, Robert Mapplethotpe: Pictures. Autor de algumas das imagens mais icónicas, polémicas e surpreendentes da fotografia contemporânea Robert Mapplethorpe (Nova Iorque, 1946 – Boston, 1989) foi um dos autores que incluiu a polemica e o debate em torno da fotografia, dos limites ou não da arte e da forma como a usufruímos. Uma especial referência para o próximo sábado, dia 22, em que pelas 11.30 h, haverá uma visita orientada por Michael Ward Stout, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Mapplethorpe, e João Ribas, Diretor do Museu de Serralves e comissário da exposição. A não perder!

Dizendo ele em algumas entrevistas “que vinha da América suburbana” (nasceu em Floral Park, Queens, NY), a sua fotografia nunca deixou de ser marcada por esse inconformismo, apesar de estéticamente marcado pelos clássicos da escultura grega, ou europeia do renascimento e do barroco, ou por artistas como Joseph Cornell (1903 – 1972), pioneiro da assemblage e próximo do surrealismo, ou Marcel Duchamp (1887 – 1968) um dos pais da arte conceptual. Mas a obra de Mapplethorpe é mais do que isso, é um reflexo da fúria de viver uma vida acelerada sem nunca por de lado a beleza das formas, a intensidade das imagens ou a beleza da composição. São imagens que marcaram a história da fotografia, que causaram polémica, nomeadamente em torno do que era ou não pornográfico ou do que era ou não arte, que foram alvo de censura, mas que também nos alertaram para questões como a SIDA, a homossexualidade ou muitas outras questões, transversais à vida contemporânea. Frequentemente recorria a coisas simples, sendo os seus trabalhos sobre flores exemplo disso, mas conferindo-lhes um cunho muito pessoal, inspirado num conceito previamente estabelecido, que aliava a uma composição notável e a um magnífico trabalho de luz e de impressão. A luz natural era a sua grande paixão, e estruturalmente encontramos pontos de contato com a pintura de flores do norte da europa nos séculos XVII e XVIII. O seu primeiro passo era ver algo e depois pensar sobre isso. Seguia-se a fotografia. Algo de que hoje nos afastamos com o imediatismo do digital, especialmente nos telemóveis.

Por tudo isto, acreditamos que esta pode a ser uma das grandes exposições que este ano passará em Portugal. Robert Mapplethorpe: Pictures, é organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves em colaboração com a Robert Mapplethorpe Foundation, reunindo 179 obras da carreira do artista e é comissariada por João Ribas. Presentes estão obras que vão das primeiras colagens e polaroides até às fotografias dos seus últimos anos de trabalho. A exposição irá ficar patente ao público até 6 de janeiro do próximo ano.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.