Encontros de Fotografia de Arles

Captura de tela 2017-08-10 às 16.11.22

Kate Barry, sem título, série Wild Grass, 2006

Da parede para os livros. A participação portuguesa nos Encontros de Fotografia de Arles distinguiu-se sobretudo no campo da edição, com dois livros a alcançarem a shortlist (entre 39 títulos vindos de todo mundo) dos prémios para melhores publicações monográficas do ano: You’re Living for Nothing Now (I hope you’re keeping some kind of record), de André Príncipe (Pierre von Kleist, Lisboa, 2016); La Vie Immédiate, de Sandra Rocha (Editions Loco, Paris, 2017). Entre os 15 finalistas da categoria Livro Histórico, destacou-se Ângelo de Sousa — Cadernos de Imagens (organizado por Sérgio Mah, obra que em Portugal é editada pela Tinta-da-China e em França pela Loco)“. É assim que Sérgio B. Gomes começa o seu artigo sobre a presença portuguesa, este ano, nos Encontros de Fotografia de Arles e publicado há dias no Ípsilon. Recorde-se que os Encontros decorrem até 24 de setembro e envolvem mais de 40 exposições, workshops, conferências e outras iniciativas. Para aceder ao site dos Encontros vá a https://www.rencontres-arles.com/fr . Para ler o artigo de Sérgio B. Gomes vá a https://www.publico.pt/2017/08/04/culturaipsilon/noticia/os-fotolivros-portugueses-a-mostrar-forca-em-arles-1780855

Captura de tela 2017-08-10 às 16.17.14

La vie immédiate de Sandra Rocha (Editions Loco, Paris, 2017

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.