Intimidade

Captura de tela 2016-05-17 às 13.31.35

Até 4 de junho pode ver n’A Pequena Galeria, em Lisboa, Intimidade, de Luísa Ferreira, uma mostra de imagens tão simples, quanto carregadas de beleza. São imagens demonstrativas que o mais importante é saber olhar, porque o mundo que nos rodeia está cheio de coisas belas. É nesta beleza, íntima, fruto de um olhar pessoal e atento que se baseia o trabalho de Luísa Ferreira.

Intimidade é uma exposição que traduz um olhar apaixonado pelos espaços e objetos ali retratados efetuado ao longo de vários anos (2002-2016). Conta-nos histórias e sentimentos, por um lado, imaginamos outras histórias, vozes, cheiros, por outro. Há algo de segredo naquelas imagens. Damos vida àqueles objetos, imaginamos um mundo a partir deles, um mundo só nosso, íntimo. Intimidade remete-nos para um mundo passado, que quase todos conhecemos ou do qual ouvimos falar. São as nossas raízes que ali estão expostas, que nos recordam casas em que vivemos ou que visitamos nas férias da nossa infância.

Para este mundo fluído, etéreo, muito contribuem os enquadramentos escolhidos e o trabalho da luz. Juntemos-lhe uma enorme paixão pelos espaços, que Luísa Ferreira nos deixa transparecer em cada imagem. Com uma impressão de grande qualidade, adequada ao conceito que preside ao tema, as imagens apresentadas foram realizadas em muitas e diferentes casas, sendo o resultado de vários anos de trabalho ao qual a autora adicionou novas imagens, mesmo após a primeira exposição (Portel, 2015). Como a autora diz “gostava de percorrer o país (…) e descobrir em cada novo lugar novas casas, novos lugares de intimidade”. A dimensão d’A Pequena Galeria é também um fator a referir como perfeitamente adequado ao tema, estabelecendo uma relação de escala entre os espaços fotografados e a apresentação. A não perder, até dia 5, de quarta a sexta das 18 às 20 e ao sábado das 16 às 20 horas.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Crítica, Notícias. ligação permanente.