Conversa à volta da Fotografia

Decorreu ontem mais uma Conversa à Volta da Fotografia. Sala cheia a demonstrar que estas conversas na Livraria Sá da Costa são uma aposta ganha, num espaço que só pelo seu lado mítico vale a pena conservar na Baixa de Lisboa. José Soudo contou-nos histórias a propósito da História da Fotografia como só ele o sabe fazer.  Só alguém que sabe muito de História, de Fotografia e do que é a vivência do nosso meio fotográfico o consegue fazer, num discurso cativante que manteve, durante largo tempo, o espaço cheio até à porta da livraria. O debate moderado por Madalena Lello e teve ainda a participação de Valter Ventura e Pedro Tropa.

Este ciclo de Conversas, e está já prometido o próximo, tem a grande vantagem de proporcionar a quem se interessa pela fotografia, uma solidez de conhecimentos cimentada pelo somatório de saberes. Diria que este tipo de iniciativa faz fotógrafos mais completos e mais bem preparados para o meio fotográfico. Algo muito diferente da opção de aprendizagem rápida, que não dá espaço ao debate e à reflexão individual. Por vezes espraiando-se numa base cultural abrangente. José Soudo, ontem, ao falar da luz enquanto fenómeno fisico e fotográfico, não deixou de tocar na história, na filosofia, na religião ou no símbolo. Ser fotógrafo é precisamente isto, ser o mais completo possivel e não ser um especialista num determinado efeito, equipamento ou técnica. A fotografia é muito mais do que isso e ser fotógrafo é (principalmente) uma atitude e é saber ver, e isso implica saber olhar e ser um livre pensador da imagem. É por isso que gosto de ouvir sempre o José Soudo e as suas histórias da História da Fotografia. António Lopes

Esta entrada foi publicada em Opinião. ligação permanente.