Da arte e do vinho

file_1280_2268-1

A revista de arte espanhola Matador dedica o seu último número à Islândia, reunindo Vicente Todolí, ex-diretor da Tate Modern de Londres e a artista norte americana Roni Horn. O trabalho gira em torno do Tempo, explorando o lado físico, pelo clima islandês, e o lado emocional, onde se traça um paralelismo entre uma erupção vulcânica e o assassinato do presidente dos EUA John Kennedy.

Em cada ano sai um numero monográfico desta revista, bilingue, de coleção, num formato pouco comum: 30×40 cm. O conceito subjacente à revista propõe em cada ano, de forma irrepetível, um artista, uma musica e um vinho, tornando-se esta triologia caraterística da própria revista, que se assume como um projeto único e finito, que nasceu em 1995 com a letra A e terminará em 2022 com a letra Z. Artistas, escritores, desenhadores e fotógrafos empreendem uma aventura criativa especialmente concebida para a revista: explorar as dimensões de um tema, recorrendo a sensações e ideias. Ao longo dos anos de vida que a revista já leva, marcaram presença nas suas páginas Yves Saint Laurent, OliverStone, Henri Cartier-Bresson, Nobuyoshi Araki, James Nachtwey ou Miguel Barceló, entre outros.

Este número é dedicado em grande parte a Roni Horn (Nova Iorque, 1955) que na década de 70 começou a explorar a natureza no desenho, na escultura e na fotografia, fazendo uma incursão na musica de Olof Arnalds e no vinho do Dão. A revista é acompanhada por um vinho de reserva da Quinta da Pelada/Dão, da responsabilidade do enólogo Álvaro de Castro.

Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.